Na rádio, Mário Júnior mente em entrevista, joga a toalha e admite perca de cargos | Rede Ilha FM
últimas Notícias

11 de jul de 2019

Na rádio, Mário Júnior mente em entrevista, joga a toalha e admite perca de cargos

De acordo com uma fonte, o deputado está usando essa questão da reforma da previdência, como meio de justificar a perca e futuras demissões de pessoas do grupo que ele indicou. "A estratégia era a seguinte: o Presidente Jair Bolsonaro já não ia dividir cargos e as pessoas de Mário Júnior já seriam cortadas, ele (Mário) ficou esse tempo sem dizer nada relacionado qual seria o voto dele, pois tinha esperança de conseguir alguma cota com o governo em cargos". (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Em entrevista hoje à uma rádio local, o Deputado Federal Mário Negromonte Júnior (PP), fala sobre seu voto em relação a reforma da previdência. Segundo vídeos gravados pelo mesmo, no dia de ontem, o voto dele foi contra, porque estaria votando pelo sertão, pela povo baiano, por Paulo Afonso e região. Porém em entrevista à rádio, ele sem perceber acaba dizendo outros motivos entrando em contradição. Disse que jamais votaria contra os servidores federais, usando o exemplo da Chesf em Paulo Afonso, e logo após relembra que sua mãe é servidora federal aposentada. Vale ressaltar, que segundo a proposta do Paulo Guedes, Ministro da Economia, a nova previdência vem justamente para gerar igualdade, e são justamente os que ganham mais, como servidores federais, que irão ter o teto de aposentadoria, assim como o legislativo e judiciário igualados a todos. Se aposentarão nas mesmas regras que o pobre. E ainda contribuirão mais, sendo que para o pobre, a contribuição diminuirá de 8% para 7,5%. Qual será mesmo o motivo do voto do Deputado? 

Cargos Federais

Perguntado sobre como ficaria as pessoas que ele colocou em cargos federais comissionados desde a época de Dilma e Temer, se elas correm o risco de serem exoneradas, Negromonte Júnior afirma que tudo pode acontecer e que está consciente das “consequências”. Vale ressaltar, que o Presidente da República Jair Bolsonaro, em suas promessas de campanha, deixou bem claro que varreria esses apadrinhamentos políticos feitos como troca por votos.

Em contato com nossa reportagem, uma pessoa ligada ao grupo do Deputado Mário Júnior, que pediu anonimato, disse que o deputado está usando essa questão da reforma da previdência, como meio de justificar a perca e futuras demissões de pessoas do grupo que ele indicou no âmbito federal. A mesma relatou que a estratégia era a seguinte: o Presidente Jair Bolsonaro já não ia dividir cargos e as pessoas de Mário Júnior já seriam cortadas, ele (Mário) ficou esse tempo sem dizer nada relacionado qual seria o voto dele, pois tinha esperança de conseguir alguma cota com o governo em cargos federais através de articulação do seu partido PP. Como viu que o governo não abriria esse espaço, e que de todo jeito iria perder a força nos órgão federais, ele votou contra e aproveitou como pretexto para justificar as percas futuras dos cargos comissionados federais, e usar como desculpa que perdeu, porque ficou ao “lado do povo”. Ainda nos relatou, que essa entrevista do deputado, seria um “jogando a toalha” para seus indicados ouvirem e entenderem o recado que a qualquer momento podem ser exonerados. A gota da água foi o deputado tentar tirar de si próprio o título de “máquina de emendas” como era chamado por seu grupo. Segundo ele, teria sido um título atribuído pela época que fazia parte da comissão mista de orçamento, ele conseguia inúmeras emendas para os municípios (segundo o mesmo) e que agora continuaria sendo a “máquina”, mas não sabe se dizer de que.

Verdade ou Mentira

Para dizer que mesmo sem os cargos e sem as emendas ele será atuante, afirmou que conseguiu grandes feitos como o valor de 45 milhões pagos pela Chesf em juízo para reforma do Hospital Nair e construção dos leitos de UTI. Mas de acordo com documento obtidos por nossa reportagem, na verdade, a Chesf pagou esse valor por uma decisão gerada pelo Ministério Público Federal, e multando por R$100.000 dia, caso não o fizesse o pagamento.




Por fim, o deputado se emocionou ao lembrar de uma mensagem que sua mãe tinha mandado, e disse que o seu partido irá trabalhar para ser protagonista nas eleições 2020 em Paulo Afonso. Será mesmo que o PP chegará com fôlego para eleger pelo menos vereadores? 

Pelo visto a vida política de Mário júnior não está muito boa. Já perdeu 60 mil votos, entre a eleição e reeleição. E em 2022, Mário Júnior ainda consegue manter o grupo para continuar na Câmara Federal?




« PREV
NEXT »

3 comentários

  1. Esse Mário Júnior acha que engana mais o povo de Paulo Afonso... Me poupe! Já sabemos quem você é deputado.

    ResponderExcluir
  2. Homi, esse deputado só sabe mentir e pongar nos feitos dos outros.

    ResponderExcluir
  3. Vixeeee.... Esse mente mais que pinóquio kkkkkkkkk

    ResponderExcluir