Hackers presos por roubo de dados de autoridades serão ouvidos nesta terça pela Justiça | Rede Ilha FM
últimas Notícias

30 de jul. de 2019

Hackers presos por roubo de dados de autoridades serão ouvidos nesta terça pela Justiça

O Ministério Público prorrogou por mais 90 dias as investigações sobre os hackers presos pela Operação Spoofing (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Os quatro presos na Polícia Federal, em Brasília, suspeitos de terem invadido o celular de autoridades como o ministro da Justiça, Sergio Moro, vão ser ouvidos em audiência de custódia na manhã desta terça-feira (30/07). O depoimento será fechado e sigiloso. Eles ficarão frente a frente com o juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal, que cuida do caso.

Após o procedimento, o magistrado pode reavaliar a necessidade de se manter os suspeitos na prisão e até determinar a liberação deles. Presos temporariamente desde a última terça-feira (23/07), os quatro tiveram o período de detenção prorrogado na sexta-feira (26/07).

De acordo com a decisão de Vallisney, os investigados poderiam prejudicar o trabalho policial, por exemplo, apagando provas ou fazendo contato com outros envolvidos. Além disso, o trabalho técnico da perícia da Polícia Federal sobre os equipamentos eletrônicos apreendidos ainda não havia sido concluído.

Nesta segunda-feira (29/07), o Partido dos Trabalhadores entrou com um pedido de investigação na Procuradoria da República do Distrito Federal e no Ministério Público Eleitoral sobre a atuação do ministro da Justiça, Sergio Moro, nas eleições de 2018. O motivo são as supostas mensagens divulgadas pelo jornal Folha de São Paulo, sobre a divulgação da delação do ex-ministro Antonio Palocci.

O Ministério Público prorrogou por mais 90 dias as investigações sobre os hackers presos pela Operação Spoofing, atendendo a um pedido feito há duas semanas pela Polícia Federal, antes da detenção dos suspeitos.

Com o novo prazo, a PF espera chegar a novos desdobramentos, após a conclusão das perícias sobre os equipamentos dos hackers, especialmente do principal suspeito, Walter Delgatti Neto.

« PREV
NEXT »

Nenhum comentário

Postar um comentário