Guerra civil: Menina síria que tuitava de Alepo é resgatada em segurança | ilha FM - Paulo Afonso
últimas Notícias

20 de dez de 2016

Guerra civil: Menina síria que tuitava de Alepo é resgatada em segurança

Bana Alabed com um voluntário da ONG Humanitarian Relief, após ser resgatada de Alepo (Foto: Humanitarian Relief Foundation / Burak KARACAOGLU/AFP)

Uma menina de sete anos que usava o Twitter para relatar os horrores da guerra em Alepo, na Síria, foi resgata da área sitiada nesta última segunda-feira (19/12). A segurança de Bana Alabed se tornou motivo de preocupação mundial nas últimas semanas por causa do cerco das forças pró-governo na região, em busca de retomá-la das mãos de rebeldes.

A conta na rede social é atualizada pela mãe da menina, Fatemah, e mostra o dia-a-dia na cidade através de vídeos e mensagens, que revelam a destruição nos arredores de sua casa. Na sexta-feira, um tuíte assinado por Bana dizia “Por favor nos salvem agora”, em meio a outras postagens em que pedia para a família – pai e dois irmãos mais novos – ser resgatada.

O resgate de Bana foi anunciado hoje, via Twitter, por uma ONG turca que ajuda a realocar os civis retirados de Alepo. “Nesta manhã @AlabedBana também foi resgatada de Alepo com sua família. Nós os recebemos calorosamente”, escreveu a Humanitarian Relief Foundation (IHH). Um dos voluntários publicou uma selfie com a menina, que parecia sorridente.

Bana e Fatemah também apareceram em um vídeo feito pela agência de notícias turca Anadolu, nesta última segunda-feira (19/12). “Eu e Bana queremos dizer para todo o mundo o quanto crianças e todas as pessoas em Alepo estão sofrendo por bombas e tudo o mais, porque não há vida lá”, disse Fatemah. “Estou triste por deixar meu país. Deixei minha alma lá. Quero levar nossa liberdade lá, não ser uma refugiada em outros lugares”.

Segundo a instituição de caridade IHH, Bana e seus familiares estão em alojamentos provisórios nas proximidades de Alepo e devem ser transferidos para campos na província de Idblid, no noroeste da Síria, na fronteira com a Turquia.

« PREV
NEXT »

Nenhum comentário

Postar um comentário